Doces estradas na vida

Estradas sinuosas são lentamente percorridas.
Terrenos altiplanos, grandes outeiros eu diviso.
A direita ou a esquerda, belos cimos salientes.
Em tons de cinza esculpidos, sinais de delicadeza.

Explique se puder, a este pobre ignorante,
De onde vem essa essência, esse perfume inebriante,
Exsudando de seu solo, com poder revigorante.

A direita eu observo, na carne branca encravada,
A rosa cruz inigualável, assinalando o caminho.
Brevemente paro e oro, pedindo direcionamento,
E a passos lentos continuo, a percorrer esta estrada.
Com cuidado sigo em frente, continuando sem desvio,
Procuro fonte de água doce, para o meu contentamento.

Não há caminho mais infértil do que aquele trilhado sem imaginação.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s