Imaginando-se

Creio ser impossível para o ser humano não se imaginar como estaria se tivesse feito escolhas diferentes em sua vida.

E imaginar-se as vezes vai nos consumindo, pois nos remete a escolhas que pensamos ser erradas, quando o momento que vivemos não é bom, mas também nos imaginamos com estaríamos se tivéssemos feito escolhas melhores, mesmo quando estamos bem, pois aí estaríamos melhor ainda.

Engraçado é que, normalmente, gastamos energia imaginando os se para situações que remetam a posse de bens materiais, ou em alguns casos mais extremos a saúde.

São as pessoas que possuíam bens, e que por motivos diversos perderam tudo ou tiveram seu patrimônio bastante reduzido, perdendo assim um padrão de vida com o qual ela sonhava.

São pessoas que acreditam ter feito uma escolha ruim, por exemplo, não ter ido para uma universidade muito conceituada para ficar em outra, mais perto de casa, mas com um conceito não tão bom.

São pessoas que se entregaram a um projeto, mas que pelas mais diversas razões não conseguiram ir adiante e precisam conviver diariamente com o peso de uma desistência.

São escolhas que nos levaram a caminhos diferentes dos quais tínhamos em mente e que nos fazem sentir culpados, por, em algum momento de nossas vidas, ter errado.

Então eu imagino, e se as escolhas que fizemos, e que nos levaram até onde estamos tenham sido as melhores escolhas? As escolhas que nos permitiriam crescer mais, mesmo que com sofrimento?

Não é fácil lidarmos com o peso de nossas escolhas. De não estarmos no controle de tudo que nos cerca. De estarmos doentes e ter vergonha de admitir. De não vivermos de bem conosco. De imaginar-se a todo tempo e esquecer de viver.

Nos frustramos com as nossas escolhas, e caminhamos jogando grandes pesos sobre nossas costas, curvando-nos mais e mais a cada dia, até que, imaginando como seria diferente nossas vidas, passamos a olhar exclusivamente para baixo, e nos tornamos incapazes de apreciar o horizonte.

Nossas escolhas é o que nos fazem. Pensar sobre elas pode nos tornar melhores, se soubermos conviver com o peso de suas consequências. Imaginar-se constantemente em outra realidade, só nos afastará da realidade que vivemos.

Pare. Respire. Levante e cabeça. Olhe para o horizonte. Pense nessa escolha. Uma de cada vez. Siga o seu caminho, pronto para as consequências de suas escolhas, mas não se imagine mais, nem lamente demasiadamente pelo que perdeu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s